CEM - Centro de Estudos da Metrópole
Avaliação dos Presidentes da República
Avaliação de Governadores

(clique na avaliação para exibir/ocultar linhas do gráfico)

Avaliação CNI-Ibope:

O gráfico acima é construído a partir da opinião de uma amostra estratificada em três estágios: no primeiro estágio, são selecionados os municípios com base na população relativa de 16 anos ou mais em cada um; no segundo estágio, são selecionados os setores censitários, também a partir da população relativa com idade superior ou igual a 16 anos; e no terceiro estágio, são selecionados os conglomerados de domicílios, em que são estabelecidas as cotas para as entrevistas considerando: sexo, idade, instrução, atividade, renda familiar, região, condição do município (capital, periferia ou interior) e porte do município (por número de habitantes). O resultado apresentado possui margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%.


(clique na avaliação para exibir/ocultar linhas do gráfico)

Indicadores Econômicos:

Os dois indicadores econômicos considerados são taxa de inflação e taxa de desemprego. A taxa de inflação considerada aqui é IPCA - Índice de Preços ao Consumidor Amplo, índice oficial de inflação do Brasil, calculado pelo IBGE. De acordo com este instituto, o IPCA abrange famílias com rendimentos mensais entre 1 (um) e 40 (quarenta) salários-mínimos e residentes nas áreas urbanas das regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Vitória e Porto Alegre, Brasília e municípios de Goiânia e Campo Grande.

Já a taxa de desemprego, também é produzida pelo IBGE a partir da Pesquisa Mensal de Emprego. A pesquisa foi iniciada em 1980, sendo submetida a uma revisão completa em 1982 e duas parciais, em 1988 e 1993, quando foram realizados ajustamentos referentes ao plano de amostragem. Em 2001, passou por revisão mais ampla com vistas à captação mais abrangente das características de trabalho e das formas de inserção da população ocupada no mercado de trabalho e também à atualização da cobertura da pesquisa e sua adequação às recomendações da Organização Internacional do Trabalho – OIT. A pesquisa cobre as regiões Metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Baixe os dados das pesquisas

Nas explicações a respeito das decisões dos eleitores sobre em quem votar, uma importante teoria é conhecida como Voto Econômico. De acordo com esta abordagem, o eleitor avalia a performance do presidente atual a partir da performance da economia ao longo de seu mandato. Se a economia tiver um bom desempenho, o eleitor o recompensa com a reeleição ou com a eleição de um candidato apoiado por ele. Já se o desempenho econômico for ruim, o eleitor o pune, votando no candidato da oposição. É um voto retrospectivo, portanto. Por esta razão, aqui estamos relacionando a avaliação dos presidentes com dois indicativos da atividade econômica: taxa de inflação e taxa de desemprego. Teoricamente, se espera que estes indicadores estejam inversamente correlacionados com a avaliação dos presidentes: quando as taxas de inflação e desemprego aumentam, as avaliações devem piorar. Entretanto, deve-se considerar que esta relação não é perfeita, havendo outros fatores que interferem tanto na taxa de aprovações dos presidentes, quanto nos resultados eleitorais.


Licença Creative Commons
Este interativo de "Avaliação e Aprovação de Presidentes e Governadores" do Centro de Estudos da Metrópole está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://centrodametropole.org.br/